Por que não opera logo?

anatomia

Eu respondo: porque desde 2007, quando o meu joelho começou a dar pála, não havia encontrado médico suficientemente disposto a enfrentar os riscos e com habilidades específicas necessárias para encarar uma cirurgia pancadão como esta. E olha que eu rodei… Fomos em vários especialistas de joelho, cirurgiões vasculares, oncologistas, ortopedistas especializados em tumores… e detalhe: não só em Brasília, como em Goiânia e São Paulo também, e principalmente, no A.C. Camargo, hospital de referência no tratamento de hemangiomas no Brasil… Prá variar, não obtive muito sucesso.

O fato é que eu cheguei no ponto em que, como eu disse hj a um amigo, pior do que está, não pode ficar:

– Tenho dores no corpo inteiro pelo fato de ter ficado quase 3 meses sem me levantar da cama, com o joelho para cima;
– Me sinto angustiada, impotente e deprimida diante das melhoras ocasionais e recaídas frequentes;
– Não tenho lá muita vontade de fazer nada, pois sempre acho que vai doer se eu tentar;
– Perdi parte de minha autonomia cotidiana e tenho dificuldades de recuperá-la dia a dia;
– Meus amigos se afastaram (ou eu mesma me afastei, wathever) e minha vida social parece nula;
– Não consigo me concentrar para trabalhar, e tenho preguiça até de fazer o que mais gosto, que é criar;
– Tento não sobrecarregar as pessoas que estão ao meu redor, mas sempre aparece algo que me faz “precisar” da ajuda delas, o que eu não gosto nem um pouquinho;
– Fico sem paciência com tudo e com todos, e acabo explodindo com frequência;
– E principalmente: etc.

Agora me responde uma coisa: se nenhum destes especialistas em JOELHO que eu  consultei, ao logo destes 2 anos, toparia operar uma área tão complicada e com tantos riscos, o que me faria acreditar que um especialista em MÃO faria? Não só faria, como faria bem?

Primeiramente o fato de o cara ser ortopedista, especialista em MÃO sim, mas também um MICROCIRURGIÃO bem respeitado em Goiânia, cidade onde me consultei com ele semana passada. Digamos que ele só faz coisa light, tipo reimplante de dedos, de braços… Ah, separa gêmeas siamesas também. Coisinha micro, que tem que ter muita habilidade e paciência, e que me desculpem os ortopedistas gerais aqui, mas a maioria não tem. Pensando bem, você não vê mulheres se formando em ortopedia, já parou para pensar? Creio que seria uma especialidade bem menos rude, mecânica e açougueira se tivéssemos mais mulheres atuando nesta área… Mas enfim, essa é outra discussão filosófica que não cabe aqui.

Pois então, este ortopedista, que além das qualificações acima ainda tem o agravante da descendência japonesa, e daí todo o background da paciência e do detalhismo, me propôs finalmente fazer a tal da cirurgia. Nela, juntamente com o hemangioma tosquinho, iríamos retirar uma parte grande da sinóvia (membrana que lubrifica a articulação do joelho) e também possivelmente algumas estruturas envolvidas por ele (tendão, músculos, cartilagem…). Ok. Nenhuma novidade no que outros falaram. A diferença é que, diferente do que todos os outros falaram, ele disse que eu não precisaria iniciar a fisioterapia já no pós-operatório, com a perna ainda na anestesia. Eles falaram aquilo por receio de haver fibrose, colabamento, etc.

Ótimo, peguei várias referências dele e do hospital, todos os colegas médicos só tem elogios, ele é bem respeitado, não faria uma cirurgia na louca, sem apoio de cirurgiões de joelho, etc e tal. Mas pensa comigo: Eu opero com um cara que não é especialista em joelho e tenho chances de melhorar ou fico do jeito que eu tô (descrito tetricamente aí em cima do post) recomendado por todos os outros que são especialistas em joelho???

Para a sorte deles todos, quem sente a dor sou eu, não eles. E não tem como fugir, a decisão será minha.

Alguém aí tem um daqueles livrinhos “Minutos de sabedoria” ? Preciso mooooiiiitooooo…

P.S.1: Curiosidades mórbidas à parte, eu adorava brincar de operar o joelho neste joguinho em flash. Espero que a minha cirurgia não chegue a este ponto, mas se rolar, pelo menos estarei preparada, rs. Ah, velhos tempos…

P.S.2: Esta imagem ridícula foi ainda a melhor que encontrei para ilustrar as partes anatômicas do joelho que sempre me refiro. Impressionante como não se acham imagens decentes na área da saúde. Será que tudo tem copyright???

P.S.1:
Explore posts in the same categories: Uncategorized

9 Comentários em “Por que não opera logo?”

  1. Chico Says:

    Bem, sou suspeito pra comentar, já que sou um dos “autores” do blog, mas vamos lá…
    Em 2007, um cirurgião vascular de Brasília, ao concluir que o hemangioma de Luana era cavernoso, e não passível de embolização, nos deu duas indicações onde procurar tratamento no Brasil: a primeira, o serviço tradicionalmente bem afamado, o A.C. Canargo, em São Paúlo; e o segundo, o serviço que despontava no Brasil e fora do Brasil como de grande qualidade e inovação, o do cirurgião pediátrico Zacharias Calil, em Goiânia (aliás, o único médico brasileiro recomendado pelo site da Vascular Birthmarks Foundation, http://birthmark.org/node/48 ). Mantendo uma postura mais conservadora, fomos primeiramente ao A.C. Camargo, onde fomos muito bem atendidos; porém lá não encontramos nenhuma possibilidade de tratamento efetivo. Por cansaço, e já que o joelho de Luana passara 2008 sem crises, resolvemos dar um tempo nas buscas. Até que este ano tivemos que reiniciar a prucura de novos tratamentos possíveis. Foi, então, quando tivemos contato, a partir deste blog, com o Dr. Zacharias Calil, que nos respondeu um e-mail (coisa rara entre médicos, infelizmente, que não costumam usar e-mails prifissionalmente e de modo ativo). A partir deste contato estamos conseguindo organizar um tratamento em Goiânia, sobre o qual logo escreveremos com mais detalhe.

    Agradeço aos que nos ajudaram até momento.


  2. Pô Luana. Pela forma como descreveu a situação é impossível não apoiar a cirurgia!
    Meu voto é para o sim. Estou na tocida! Melhora rápido!

  3. Míriam Says:

    Hey Luanaaaa! vc escreve super bem =))) tenho algumas opniões a respeito de operar ou não… mas vou te enviar por e-mail tá? hehehe bjsssss


  4. É Luana, seus posts são sempre esclarecedores. Antes de você criar este blog eu mem sabia que existia tal doença. Eu ando ME sentindo como você: sem vontade de sair, ver os amigos, querendo me isolar do mundo, sem a vontade de criar que eu tanto amava… e sem dor, ao menos não física, creio que psicológica e não sei ainda o porque. Se me falassem que eu voltaria ao meu normal se eu fizesse isso ou aquilo, eu estaria na fila! Só você pode tomar essa decisão e quando tomar indiferente de qual delas terá meu apoio! Faça o que considera melhor para você, SEMPRE!!!

    • Luana Says:

      Karlinha,
      Vou falar uma coisinha pra te animar: problemas psicológicos são 3x mais fáceis de solucionar do que os físicos.

      Partindo do princípio de que todos os problemas possíveis e imaginários tem sua origem ou consequência na esfera psicológica…

      Um problema físico seria:
      – físico + psicológico (como o meu, pois a parte física acabou afeta a psicólógica
      – psicológico + físico (quando a mente gera a doença)
      – psicológico + físico + espiritual (ae pede arrego pq afeta tudo na vida da pessoa);

      Um problema espiritual seria:
      – psicológico + espiritual (sua mente cria sensações que enfraquecem seu espírito)
      – espiritual + psicológico (acaba afetando o psicológico por não saber lidar com o problema)
      – apenas espiritual, não chegando a afetar as outras áreas

      Um problema psicológico seria:
      – apenas psicológico, chegando a afetar as outras áreas
      – apenas psicológico, NÃO chegando a afetar as outras áreas

      E então, o que é que vai ser????

      Bjs e obrigada pela força!

  5. Andrea Says:

    Lu, posso te chamar assim?
    Olha, tô na dúvida que nem você…
    Não sei se foi seu caso, mas sou meio avesso à medico que diz resolver o caso com muita segurança.
    Gosto mais daqueles que demonstram os riscos do procedimento e vão atrás de pesquisa/informação antes de aceitar o caso.
    Também levo em conta a situação emocional da Gabi. Se acho que ela tá insegura, eu adio mesmo.
    Assim como já teve uma vez que queria operar e o médico disse que dava para esperar a Gabi crescer, entender melhor e decidir pela cirurgia, ou não.
    Lu, use a razão e o coração para decidir.
    Estamso contigo e torcendo para tudo dar certo.
    Bjs!
    Andréa

    • Luana Says:

      Oi Andréa, tudo bom? Desculpa a demora em responder, mas eu tenho passado por muitos períodos de depressão, tem dia que nem olho pro computador, mas enfim…

      Bom, ele não disse em momento algum que resolveria a situação, e sim que como toda cirurgia, teria riscos… e tb to levando em conta o que muitos especialistas em joelho me falaram: se o hemangioma ficar muito tempo aí, pode ser pior ainda, pois vc que já tem artrite com 32 anos, pode vir a ter artrose, e com a degeneração total da cartilagem, não tem mais volta… Sabe, eu penso muito nisso, pois não quero estar com artrose aos 40 anos… sinto que ainda tenho muitas coisas a realizar… enfim… Eu ainda não estou muito segura, como vc pode ver, rs, mas estou aqui pra ouvir opniões e considerar todas elas.

      Obrigada mesmo pela força. Beijão pra vc e pra Gabi!

      • Lara Says:

        Luana, já foi a algum médico aki em BSB chamado Bomfim? O nome é sugestivo, mas eu estava lembrando agora… ele tirou um hemangioma no joelho da minha mãe do tamanho de uma banana nanica, e olha… foi a uns 10 anos ou mais. Deu tudo certissimo. Mas como cada caso é um caso, pode ser interessante conversar com ele.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: