Archive for the ‘Tratamentos’ category

E a comunidade aumenta…

abril 16, 2012

Gentem, eu não sei se fico feliz ou triste, mas o fato é que apesar de ser raríssimo, eu sempre soube que haviam mais pessoas com o meu problema, e pouco a pouco elas estão aparecendo. Primeiro foi a Solange de São Paulo; depois uma moça que não se identificou mas estava muito desesperada e eu a orientei; em seguida a Fernanda Nasser tb de São Paulo;  A Luana Silva do RN; O Wesley Xavier de Luxemburgo; a filha da Sônia Adriana e agora recentemente fiquei sabendo da Eduarda (de 3 aninhos), filha da Kelly e da Patrícia Cunha do RN.

Acho extremamente importante nos unirmos, quem tem hemangioma no joelho ou em qualquer outra parte do corpo.
A internet está aí, os fóruns de discussão estão aí, as associações e médicos tb. Cabe a nós mantermos uma rede de contatos forte para podermos ajudar uns aos outros cada vez mais.

Fico feliz em poder ajudar cada vez mais pessoas que me procuram pedindo orientações. Ajudo na medida do que eu posso e sei; espero que encontremos alívio nos tratamentos, e principalmente que as informações se multipliquem e tenhamos mais apoio e conhecimento sobre tudo isso.

Vou postar aqui um depoimento que o Wesley (de Luxemburgo) fez, pois o tratamento dele foi rápido e muito bem sucedido. Conheci ele através de um email que ele me mandou pedindo informações sobre esse problema. Estou muito feliz com a recuperação dele e espero que a gente possa um dia dizer que no Brasil as coisas tb funcionam assim.
Esclareço porém que o hemangioma do Wesley não era exatamente sinovial (dentro do joelho), e sim da perna, mas com consequências que o limitavam da mesma forma. Como o tumor não permeava a articulação do joelho, ele conseguiu fazer todo o tratamento à base de embolizações.

Abs, Luana.

=================================================================

Depoimento de Wesley Xavier – Hemangioma Cavernoso de Perna

Meu caso Hemangioma Cavernoso

Ola, vou contar a vocês a minha historia, meu nome é Wesley, tenho 23 anos, e moro em Luxemburgo, em dezembro de 2010 comecei a sentir muitas dores na perna esquerda, dor que piorava gradativamente, portanto por me movimentar bastante, eu pensei que fosse uma dor muscular, e comecei a me auto medicar com relaxantes musculares, que faziam efeitos durante dois dias, mas depois a dor piorava, eu estava com viagem marcada para o Brasil em fevereiro de 2011 para visitar a minha familia, e fui levando a dor com relaxantes porem quando cheguei ao Brasil comecei a sentir dores insuportaveis, eu não conseguia nem levantar o pé do chão, quando ia dirigir era obrigado a levantar a minha perna com as mãos para colocar no pedal, procurei um medico ortopedista, e ao apalpar o meu joelho eu senti uma dor muito forte, ele me recomendou de fazer uma tomografia de urgencia antes de voltar para Luxemburgo, e entao o resultado era de que eu tinha um hemangioma cavernoso de 14 cm na perna esquerda, que era um tumor ,que não regredia e que precisava de tratamento, eu fiquei muito assustado, pois não tinha conhecimento da doença, eu passei a minha vida toda normal, corria, jogava bola, servi ao exercito, tudo sem sentir dores, resolvi voltar, pois aqui tinha a minha vida ja encaminhada, chegando aqui procurei o médico, que disse que tratava de um grande tumor, mas a sua forma não era bem definida, e por ser grande, deveria ser feita uma cirurgia de emergencia pra fazer uma biopsia e afastar a hipotese de se tratar de um tumor maligno, foi um periodo muito dificil pra mim, pois sozinho aqui, sem poder andar, e ainda o sacrificio de esperar o resultado de uma biopsia é por si so uma grande puniçao, o resultado em Luxemburgo foi inconclusivo e foi enviado para a Alemanha, para uma segunda analise, e depois de duas semanas, foi confirmado, que se tratava de um hemangioma cavernoso, eu fiquei um periodo de 6 meses sem poder andar, foram 4 cirurgias, os medicos aqui foram muito atenciosos, fui tratado por um professor em medicina vascular e ex diretor da universidade de liége na Belgica, foi feito uma embolização e consegui “queimar” 100% do tumor, a minha perna ficou bem atrofiada, depois da cirurgia consegui a voltar a andar, mas sempre devagar e fui voltando aos poucos, hoje, 6 meses depois da ultima cirurgia ja consigo correr e o musculo da minha perna ja voltou ao normal, ficou apenas um pequeno buraco onde se encontrava o tumor, mas isso nem me incomoda, e uma cicatriz de 7cm, voltei ao médico para fazer um controle, e depois de todos os exames, não ha nenhum sinal do tumor, graças a Deus. São coisas que aparecem na vida da gente quando menos esperamos, mas é preciso ter calma e paciência, mesmo se cada dia na cama parecia uma eternidade, eu agradeci a Deus por não se tratar de nada maligno, bom essa é a minha “longa” historia, eu espero que cada um de vocês continuem a lutar com força e não desistam pois todos teremos a vitoria!

Wesley Xavier
Luxemburgo
https://www.facebook.com/wesxavier

Anúncios

Notícias do pós-operatório light e muita “chapação”

janeiro 6, 2011
No hospital, chapação após acordar da cirurgia

Genteeee!!!! Finalmente acordei pra colocar o post mais esperado desde que resolvi começar esse blog!!!

Bom, “acordar” não é exatamente a palavra,  pois eu só acordo de verdade mesmo na hora de tomar os remédios (que não são poucos), e depois capoto de sono de novo, rsssss.

O importante é que acordei pra tomar remédio agora,  a cirurgia foi um sucesso, eu estou com pouca dor e a recuperação tá sendo bem rápida =)

Vou escrever o que a chapação me permitir, ok?  Não liguem se eu falar muita besteira, tah. Lá vai:

1- A cirurgia foi ótima porque o Dr. Junichiro tem muita experiência em artroscopia de joelho e é muito atencioso e dedicado. Disse que conseguiu remover uns 80% do bichão (tb conhecido como hemangioma). Só não removeu mais porque estava esgotando o tempo limite da cirurgia (2h) devido ao garrote na perna feito pra não sangrar muito. Se tudo evoluir bem,   talvez faremos outra cirurgia para retirar o restante.

2- Tomei apenas anestesia raquidiana (anestesiando da cintura pra baixo), mas como não aguentava de ansiedade, pedi pra me doparem e não vi bulhufas! Quem viu tudo foi o fofíssimo do meu marido, que ficou na sala de cirurgia acompanhando tudo até o final. A minha cunhada que também é médica, tb acompanhou a cirurgia. Platéia, neh? Daqui a pouco eu vou cobrar ingresso, rs.  O fato é que realmente deve ser a primeira cirurgia deste tipo (artroscópica) para retirada de um hemangioma de joelho no Brasil. Chique e única, neh bein! Se eu me recuperar logo e bem, meu caso pode ser até documentado e virar artigo médico científico, para ajudar a criar condutas e procedimentos para casos como o meu =)

3- Fiquei no hospital apenas um dia, tomando soro e diazepam (a dupla infalível pra chapar o dia todo) e na terça eu já estava na casa da minha sogra (outra fofa).
Agora estou à base de uma penca de remédios pra dor, vitaminas e anti-alérgicos.

Eu e minha tábua de salvação. Em primeiro plano o temido CODATEN, à base de codeína (derivada da morfina). Graças a ele estou conseguindo encostar o pé no chão juntamente com o andador. Hoje o médico disse q se continuar com pouca dor, devo iniciar a fisioterapia daqui a 10 dias.

4- O importante é que o joelho não está imobilizado, estou só com uma faixa trocando o curativo todos os dias. O médico recomendou muito para eu movê-lo o quanto eu puder, para evitar “endurecimento” da articulação, mas tudo no limite da dor. Doeu, parou. Assim, daqui a 10 dias, quando está previsto o início da fisioterapia,  vai ser mais fácil começar.

Bom, por enquanto é isso. Agradeço a todos os amigos e familiares que me apoiaram, aqueles que se manifestaram e até mesmo aos que não se manifestaram; ao meu amor, marido, companheiro, amigo de todos os momentos; aos médicos e profissionais que me atenderam e me orientaram até hoje. Mas o meu agradecimento maior  e mais especial vai para Deus, que nunca jamais me abandonou, em momento algum, e me manteve (e manterá) firme e forte para o que der e vier, e me fez redescobrir minha fé.

Vou parar, antes que eu chore.

Agora as fotinhas toscas dos momentos divertidos de antes e depois da cirurgia:

Cirurgia now! ou Razão e sensibilidade

dezembro 29, 2010

Certo gente, não faz tanto tempo assim, mas por vários motivos não escrevi esse post antes, e depois de lê-lo, tenho certeza de que vão entender a razão da demora.

Mês passado, ainda com o joelho em crise, tive uma nova consulta com dr. Mário Kwae em Goiânia. É o cirurgião de mão que eu tinha mencionado antes. Lembram-se que ele topava operar meu joelho em uma cirurgia aberta, com os riscos e tudo mais? Pois bem… Desta vez ele nos encaminhou ao seu colega cirurgião de joelho, Dr. Junichiro Sado, e com ele, uma nova possibilidade se abriu diante de meus olhos: ele operaria por vídeo-artroscopia, num procedimento beeeeeeeeeeeeem menos invasivo do que a cirurgia tradicional aberta, que havia sido proposta até então.

Artroscopia, um capítulo à parte

Pra quem não sabe o que é uma artroscopia, aqui tem uma breve explicação, e aqui um vídeo de uma artroscopia de menisco, cirurgia relativamente corriqueira.

Aqui temos uma série de vídeos que explica rapidamente:

Como funciona a artroscopia – parte 1


Como funciona a artroscopia – parte 2


Como funciona a artroscopia – parte 3

Após uma breve pausa…. continuando,

Então, após a consulta com o Dr. Junichiro,  saí retumbante e prontinha para começar a aceitar a idéia de poder tirar grande parte deste hemangioma através de uma cirurgia. Eu confesso que era bem avessa à idéia de operar, principalmente pelas propostas que tinha tido anteriormente. Mas, depois de conversar com o Dr. Junichiro, senti bastante confiança no método, na técnica e no profissional. Senti que finalmente teria que decidir entre: continuar tendo pálas a cada 3 meses e ficando um sem andar; ou correr alguns poucos riscos de uma cirurgia relativamente comum. E quer saber? cansei de deixar de fazer coisas por causa desse joelho bichado. Chegou a hora e eu decidi TENTAR melhorar.

Logicamente, não tenho garantia de nada, mas segundo o médico, é uma TENTATIVA de fazer o joelho não sangrar o tempo todo, inchar menos…. mas a dor provavelmente irá continuar. Para isso, tb procurei modos de controlar a dor, como consultas com especialistas em dor crônica, no caso o Dr. Onofre, em Goiânia. Ótimo profissional, por falar nisso. Vou precisar começar o tratamento com codeína 2 dias antes da cirurgia, para que a recuperação ocorra com menos dor possível. Vou precisar tb iniciar a fisioterapia o mais rápido possível, para evitar fibroses e sensação de joelho duro, essas coisas.

Enfim, apesar da escleroterapia da parte externa do hemangioma ter sido um sucesso, não se pode fazer uma aplicação desta DENTRO da articulação, e eu tive que apelar para outras soluções, como artroscopia, tratamento espiritual, tudo o mais. Aliás, os incrédulos que me perdoem, mas acredito muito que estou tendo um resultado satisfatório tb com este tratamento.

Tentemos de tudo, mas com razão e sensibilidade. Desejem-me sucesso!

Um abraço a todos e até depois da cirurgia!
***P.S. : Vou operar dia 03/01/11. Nas duas semanas seguintes vou ter muuuuito tempo pra ficar na internet, me aguardem, eheh.

Novidades e escleroterapia

dezembro 10, 2010

Mais um tempo longe e tantas coisas acontecendo… Vamos às atualizações:

1- O joelho bichou e ficou 3 semanas muuuuito inchado; 2 semanas sem pisar no chão com andador;

2- Fiquei este tempo todo sem exercício nenhum e quando voltei (por insistência da minha personal) senti muuuuito mais, imagina…. A parte boa é que ela trouxe uns cd´s com músicas de body combat aqui em casa pra gente treinar sentada dando muito soco e porraaaada (cansa, mas é bom para não estacionar todos os músculos enquanto dura a pála);

3- Após melhorar, voltei à piscina para a fase 1 de treinamento novamente e finalmente tomei coragem pra fazer uma infiltração com o Dr. Zacharias. (Infiltração = escleroterapia)

Na esclerose, tive a oportunidade de ser atendida pelo Dr. Zacharias Calil e Dr. Monris (ultrassonografista). O ultrassom foi utilizado para guiar a agulha da infiltração, garantindo melhor precisão das aplicações. Como fiz anestesia local, não senti nada na hora, só a agulhada da anestesia mesmo. O resultado? Tb tô doida pra saber, rs. O novo exame vai ser feito dia 17/12,  e o temos por enquanto são as reações físicas. No dia inchou muito e nao senti nada. Já nos 5 dias seguintes, a dor era muito grande, e o joelho foi desinchando aos poucos, consegui até ver a patela, que andava escondida há um tempão… quem diria…. Ficou até bem uns 4 ou 5 dias, mas agora estou com ele sensível, dando umas fisgadas de vez em quando e o inchaço voltou. Está bem menos inchado que o habitual, mas sabe como é neh… a gente fica com medo de fazer tudo.

Então voltei à piscina e ao fortalecimento com a personal, mas usando o mínimo possível o joelho bichado.

Assim que sair o resultado do exame eu posto aqui no blog. Ah, fiquei um tempão respondendo o pessoal que me escreve querendo conselhos e dicas sobre hemangioma. Não sou profissional, mas no que puder ajudar, estou à disposição =) . Quero aproveitar pra agradecer o carinho e as mensagens de vocês, tudo isso me ajuda a seguir em frente.

Por enquanto é isso, e vamo que vamo, Brasil!

Rocky Balboa training

outubro 7, 2010

Gente, semana passada eu completei 1 mês de treinamento com a Jéssica (personal trainer) e estou muito feliz com os resultados! Olha eu aí embaixo, rsss

Sério agora… Demorei MUITO para recomeçar minhas atividades físicas, escolher o profissional, ter força de vontade, me convencer de que era necessário, apesar de todas as limitações que meu joelho me impõe… mas enfim, eis que surge uma luzinha no fim do túnel, minha gente!

Encontrei uma profissional super simpática e dedicada, que tem me ajudado, e muito, a passar do estado “vegetal” para o de “velhinha com muletas”, como costuma brincar meu marido. O nome dela é Jéssica, e é recém-chegada de São Paulo e especialista em grupos especiais como idosos e pessoas com hemartrose crônica. Conheci vários tipos de profissionais de saúde por causa desse problema meu, e o grande diferencial a meu ver, é o empenho em estudar e se atualizar, o que ela tem de sobra. Tenho notado que esse é um grave dificuldade da maioria dos profissionais mais experientes, da escola antiga, onde o que está escrito nos livros é a lei absoluta e incontestável. As coisas mudam, e muito rapidamente. Se não nos atualizarmos, corremos o risco de ficarmos presos a dogmas que nós mesmos acabamos criando. E isso vale também para nós, pacientes. Temos o direito e o DEVER de estarmos bem informados para podermos avaliar melhor nossos problemas, procurar os profissionais certos e termos condições de conversar e nos entendermos bem com eles.

Felizmente encontrei uma séria e ótima profissional no meu caminho, que me faz esquecer dos maus bocados que já passei em academias com professores totalmente despreparados que só querem saber de deixar vc “sarada”, sem se preocupar com suas limitações e problemas de saúde. O contato dela está neste link, junto com os profissionais que indico por confiança no trabalho.

No momento estamos na fase 1 do treinamento, com exercícios cardiorrespiratórios na piscina (natação sem uso das pernas), caminhada na água e exercícios de fortalecimento e alongamento fora da água, tudo sem prejudicar a articulação do joelho. Cara, eu tô bagaço demais!!! Mas é assim que é bom, neh? =D

Tratamento a laser: antes e depois

abril 4, 2010

Caramba! e lá se vão quase 4 meses sem nenhum post! De tanto receber emails pedindo notícias, aqui estou eu novamente, firme e forte (mais firme do que forte, rs) para mais novidades.

Antes e depois da 3a. sessão de laserterapia: o volume do hemangioma está beeeem menor! E minha perna bem mais clara =)

Eu sei que “sumi”, mas foi temporariamente, enquanto eu decidia algumas coisas e reorganizava minha vida. Decidi sim não ficar mais deitada o dia todo com a perna pra cima pra ver se o joelho desincha; decidi estudar, trabalhar, ir ao cinema, rezar, cantar, fortalecer os músculos da perna e das costas para que não doam tanto, e principalmente, levar minha vida em frente. Tudo, claro, com a moderação necessária para que meu joelho querido não biche novamente. Não posso ficar muito tempo sentada, nem muito tempo em pé, por isso fico alternando constantemente para deitada, sentada e (menos) em pé. Tem dado certo até agora, graças ao notebook e às novas atividades que decidi me dedicar, já que não posso voltar a trabalhar por agora. Isso não quer dizer que eu não esteja trabalhando… quem me conhece sabe que é meio difícil pra mim ficar longe do design, então arrumei outros meios de trabalhar com ele: agora sou assistente de direção de arte de cinema, artista digital, designer de interiores, estilista de acessórios, DJ, e continuo fazendo o que gosto, só que agora de outras formas =) . Ah, também continuo como freela de interface, identidade visual, livro, revista, cartaz, site…tamosaí, ehehe.

Mas vamos ao que interessa: o tratamento a laser em goiânia. Sei que muitos estão aflitos para saber, então é o seguinte:

Vou para Goiânia esta semana para a 4a. sessão de laser com o Dr. Zacharias Calil e estou bastante empolgada com o tratamento. Como o meu hemangioma é profundo, apenas o laser não resolveria, mas estou super satisfeita com o resultado: as veias superficiais estão menos arrocheadas e menos inchadas, e o retorno venoso está bem melhor, fazendo com que eu fique mais tempo sem dor. Claro que o uso de meias de compressão tb ajuda. Se tudo der certo, termino em mais 4 sessões e não precisarei fazer a escleroterapia, muito menos a cirurgia. Antes e depois da sessão tem todo um cuidado a ser tomado, etc e tal. No meu caso, eu peço para não dar anestesia local, pois tenho alergia à xilocaína. As crianças todas tomam anestesia e até dormem, pois queima um pouquinho. Na verdade eu não sinto queimar (na ponta do aparelho tem um gelinho pra aliviar a dor), eu sinto mais o susto de cada aplicaçãozinha mesmo.

O legal deste aparelho é que precisa de menos sessões para uma área extensa, cada pulso já pega uma área considerável, e a cada sessão, vai aumentando o número de pulsos. No meu caso, lembro que na primeira sessão foram uns 8 pulsos;  na última, que foi a terceira, foram quase uns 25. Só fica vermelho na hora; não coça, não sangra… Mas não pode tomar sol durante o mês todo, até a próxima sessão.

Assim, estou indo uma vez ao mês para fazer essas aplicações e com muita esperança de que isso faça meu “bichinho” ficar quietinho por mais tempo =)

Pelas fotinhas dá pra ver a diferença, e que diferença!!! Falta só eu entrar pra natação pra melhorar o condicionamento físico que está péssimo. Alguém vem comigo?

Abs!

Dr. Zacharias e o inovador tratamento para hemangiomas em Goiânia

dezembro 5, 2009

{UPDATE ATRASADO, MAS IMPORTANTE, POR FAVOR LEIA}

Brasília, 24/06/2013

MEU NOME É LUANA, NÃO SOU O DR. ZACHARIAS, NÃO MARCO CONSULTAS E NÃO TRABALHO PARA ELE. FUI PACIENTE DELE EM UM TRATAMENTO ESPECÍFICO NO ANO DE 2009, E PORTANTO AGORA NÃO TENHO MAIS CONTATO COM ELE. O TEXTO ABAIXO FOI PUBLICADO EM 2009 E  DESDE ENTÃO AS PESSOAS ME ESCREVEM PEDINDO PARA MARCAR CONSULTA. GOSTARIA DE ESCLARECER DE UMA VEZ POR TODAS QUE SOU APENAS UMA PACIENTE COMO VOCÊS, FIZ VÁRIOS TRATAMENTOS (APENAS UM DELES FOI COM O DR. ZACHARIAS) E ESTOU AQUI NESTE BLOG CONTANDO UM POUCO DO QUE PASSEI PARA QUE TALVEZ POSSA AJUDAR OS OUTROS QUE VIVEM COISAS SEMELHANTES.

Gosto de responder comentários e me sinto bem ao ajudar da maneira que posso, conversando sobre tratamentos, médicos, ouvindo as histórias e dando apoio psicológico para as pessoas que precisam… Mas sinceramente, gente… Eu não trabalho para nenhum médico, não indico ninguém por comissão, nada disso! Estou aqui unica e exclusivamente para contar minha história e poder ajudar quem passa por situções parecidas. Entendam que para eu chegar ao ponto de ter que falar isso aqui, a coisa ficou insuportável. Tive até que me afastar do blog por uns tempos e bloquear comentários. Poxa vida! Se vc quiser conversar sobre hemangioma e sobre os tratamentos que eu já fiz, pedir algum conselho ou mesmo desabafar, estou aqui para tentar ajudar no que me for possível… MAS POR FAVOR! PARE DE ME PEDIR O QUE EU NÃO POSSO FAZER. E não tenha preguiça de ler os textos até o final, porque esta é justamente a maior causa dessas confusões todas.

Abaixo permanece o texto original, de 2009.

Desculpem qualquer coisa, é que realmente não estava dando mais pra deixar quieto.

=============================================================

Brasília 05 de dezembro de 2009

Já faz um certo tempo que não posto nada no blog, mas eu precisava realmente desse tempo para avaliar e viabilizar algumas coisas que se encontravam paradas por conta da situação do meu joelho.

Estive protelando, inclusive, em escrever aqui e relatar as últimas avaliações e resultados de exames justamente por não ter certeza dos procedimentos a serem feitos. Agora que já tenho (algumas) condutas (parcialmente) definidas, tenho imenso prazer em comunicá-las a todos que acompanham este blog. =)

Preparem-se então para “notícias mais que bombásticas, que abalarão as estruturas dos tratamentos mais comuns para hemangioma no Brasil!” (Calma, gente, estou exagerando um pouco só pra descontrair). Mas aí vão elas:

1.  Já faz um tempo encontramos em Goiânia um médico com a experiência e a audácia necessárias para uma infiltração (escleroterapia) num local tão complicado quanto uma articulação de joelho.  O nome dele é Zacharias Calil Hamu, um dos três médicos brasileiros a ser indicado pelaVascular Birthmarks Foundation (http://birthmark.org/node/48). Quem acessar o site dele (www.drzachariascalil.com.br) vai perceber que ele não é um especialista em ortopedia de joelho; tampouco cirurgião vascular… A especialidade dele, pasmem, é cirugia pediátrica! Mas notem que ele costuma mesmo é interessar-se por coisas difíceis e complexas, como as mais de 15 cirurgias de separação de gêmeas siamesas.

2. Além disso, o Dr. Zacharias Calil desenvolveu um medicamento para o tratamento de Hemangiomas. O tratamento inédito (que despertou grande interesse da comunidade científica internacional) consiste em uma aplicação (escleroterapia) com outras substâncias em alternativa ao álcool, comumente usado neste tipo de procedimento, MAIS a aplicação de laser no local do hemangioma, acelerando o processo de recuperação cutânea e subcutânea. O tratamento tem se destacado pela eficiência e baixo efeito colateral, permitindo a crianças portadoras desse tipo de má formação vascular retomar ao convívio social (lembremos que portadores de má-formação vascular costumam ser muito mal assistidas pela medicina brasileira). Ele já possui mais de mil casos de tratamentos de hemangiomas (no site tem algumas fotos de antes e depois), o que tem lhe oferecido a oportunidade de receber vários convites para palestras e tratamentos fora do Estado de Goiás e fora do país. Pessoas de todo o Brasil e de fora têm vindo se consultar com ele. Para saber mais detalhes sobre a laserterapia, acesse http://www.drzachariascalil.com.br.

3. Este dedicado e competente profissional já vem acompanhando (conservadoramente e paralelamente aos médicos de Brasília) este meu raro caso de hemangioma intra-articular de joelho há mais ou menos seis meses. Agora, depois desta última pála (a segunda), passamos a considerar mais intensamente a possibilidade de infiltração e laser, devido à dor intensa dos últimos meses. Exitei muito em fazer qualquer procedimento, por medo de piorar a situação. Venho sendo bem “caxias” e usando meias de compressão regularmente. Ainda assim, consideramos que só isso não era suficiente, pois estou ainda com muita limitação em termos de atividade física. Por isso, esta semana comecei um tratamento com o Dr. Zacharias. Iniciamos apenas com o laser, visando reduzir a porção superficial de meu hemangioma. Se não for o suficiente, caminharemos para abordagens mais invasivas (a escleroterapia e mesmo cirurgia aberta, que espero que não precise).

4. Quanto à possibilidade de cirurgia, isto foi sempre o que me deixou mais insegura; pois procurei vários e vários médicos, em três estados brasileiros, e sempre tive respostas evasivas. Em Goiânia, contudo, o dr. Zacharias está habituado a cirurgias complicadas, de modo que me apresentou rapidamente para médicos capacitados para casos como o meu. conseguimos através dele acesso a um médico radiologista (Dr. Monres) que fez um exame de Ultrasson muito bem detalhado da porção extra-articular de meu hemangioma, incluindo a porção do hemangioma que comunica a parte intra-articular com a extra-articular. Conseguimos também com ele a aindicação de um micro-cirurgião, Dr. Mário Kuwae, que se dispôs a realizar a cirurgia juntamente com um cirurgião de joelho (se esta vier a ser necessária).  Para quem tem um problema que às vezes se torna incapacitante, encontrar profissionais dedicados e competentes é um sempre grande alívio.

5. Por último, pedi ao meu marido que me explicasse o que ele andou lendo sobre o aparelho de laser com o qual trabalha o Dr. Zacharias. Isso porque parece ser consenso nos fóruns de pacientes com hemangiomas que apenas o Dye Laser seria o laser indicado para tratamento de hemangiomas. Isso, ao que parece, é apenas parcialmente verdadeiro. O Dye laser é indicado por alcançar a mesma frequência de onda da hemoglobina (proteína do sangue), o que garante sua efetividade. Mas o laser de Goiânia, com o aparelho Formax , também alcança a frequência de onda da hemoglobina – e tendo uma “ponta” bem espessa, o que reduz o número de aplicações sobre uma mesma área, reduzindo também a possibilidade de queimaduras. Fiz, até o momento, uma única aplicação. E, embora o Dr. Zacharias tenha avisado que poderia ficar muito avermelhado (por eu ser muito branca), não ficou avermelhado e, no dia seguinte, a região de meu hemangioma já parecia menos arrocheada, e com algumas veias menos protuberantes. fiquei muito entusiasmada. Meu marido acha que o que fez meu hemangioma piorar nos últimos anos pode ter sido a piora geral do retorno venoso de minha perna – por isso das meias de compressão terem tido um bom resultado. É possível que o laser também ajude nisso. Esta matéria fala um pouco do equipamento antes da implementação em Goiânia.

Claro que estamos só no começo. Mas já estou bem mais aliviada. Farei mais algumas sessões de laser nos próximos meses, e logo colocarei fotos de como ficou minha perna após este tratamento.

Peço aos colegas e amigos de outros estados que comemorem comigo esta conquista. Quanto mais serviços de qualidade no país, melhor. O Dr. Zacharias Calil tem um projeto de construção de um centro de saúde para atendimento especializado em hemangiomas. Isso é fundamental para que outros profissionais possam se dedicar a um atendimento de qualidade para quem tem hemangioma. Só quem já circulou por vários médicos e várias cidades em busca de tratamentos sabe o quanto isso é difícil e sofrido. E olhe que eu já sou adulta, e meu hemangioma não prejudicou muito minha vida até poucos anos atrás – tem pessoas que sofrem muito desde a infância, sofrendo por causa do hemangioma e sofrendo por causa da falta de tratamentos.

Do ponto de vista dos pacientes que buscam tratamentos, quanto mais alternativas de qualidade, melhor.
Comemorem comigo mais essa vitória!!!

Um abraço a todos!

Ele já possui mais de mil casos de tratamentos de hemangiomas (no site tem algumas fotos de antes e depois), o que tem lhe oferecido a oportunidade de receber vários convites para palestras e tratamentos fora do Estado de Goiás e fora do país. Pessoas de todo o Brasil e de fora têm vindo se consultar com ele.